PÓS

“Heróis da Saúde”, profissionais bem posicionados no mercado de trabalho

Ex-alunos da Faculdade Adventista da Bahia tem destaque em suas profissões

O projeto “Heróis da Saúde” visa valorizar os ex-alunos da área de saúde que hoje desempenham funções de destaque no mercado de trabalho.  Ele se concretiza na produção de vídeos em que o profissional conta em poucos minutos sua trajetória na faculdade e como essas experiências lhes permitiram ter sucesso em suas profissões.   

A Faculdade Adventista da Bahia (Fadba), prepara alunos tendo por referência a qualidade do ensino e metodologia aplicada, assim como o preparo técnico, cientifico e humano. Para Mariana Prado, ex-aluna do curso de Enfermagem, esses foram um dos atributos que a fizeram escolher a instituição.

“Graduar na Fadba sempre foi uma escolha para mim. Ela nos ensina a sonhar, ensina a creditar em nós mesmo e hoje tenho o orgulho de dizer que faço parte do time de heróis da saúde formados na Faculdade Adventista da Bahia”, comemora.   

Mariana se formou em 2015, desde então tem construído um legado de evolução profissional. Participou do programa de residência do Hospital Adventista Silvestre, sendo contratada pela própria rede. Trabalhou por dois anos como enfermeira assistencial e hoje atual como gestora de enfermagem e é a responsável técnica pelo departamento em um dos hospitais da rede.

Na atuação da saúde, um do campus de destaque da Fadba é o incentivo a pesquisa científica e aprimoramento técnico, além de fazer com que o aluno considere o paciente como parte de extrema importância no processo.

Graduado e pós-graduado em Psicologia pela Fadba no ano de 2016, Alison Ribeiro destaca esse cuidado da instituição.

“Ao decorrer da graduação eu pude aprender sobre ferramentas importantes para a construção de uma psicologia cientifica, ética e eficaz. Sou psicólogo clínico e professor universitário, a minha missão é ajudar as pessoas a terem mais saúde mental, melhorar seus relacionamentos interpessoais e obter mais qualidade de vida”, lembra.

Rafael Araújo, formado em fisioterapia em 2009, também falou do seu desenvolvimento profissional ao longo dos anos. Ele foi o primeiro fisioterapeuta diarista de um hospital público no Estado do Pará.  Na Fundação do Hospital de Clínicas Gaspar Viana é responsável por duas Unidades de Terapias Intensivas (UTI). Rafael exerce também as funções de supervisor de reabilitação e diretor geral do Grupo de Gestão Hospital em Reabilitação e Ventilação do Hospital Adventista de Belém.

 “Em 2019, recebemos a nossa maior premiação das mãos do ministro da saúde, (R$350,00 mil reais) relacionados a um projeto de eficiência na gestão e no tratamento de pacientes”, ressalta.

A Fadba dispõe desimpósios, incentivo a linhas de pesquisa e grupo de estudos. Ênfases que levaram Samuel Chaves a alavancar sua vida profissional.

“Em 2010, tive a oportunidade de ingressar no curso de enfermagem da Fadba. Tive o privilégio de aprender com excelentes médicos e pude construir os alicerces da minha carreira profissional. Devido ao preparo que a Fadba me proporcionou eu pude me aperfeiçoar, exercer meu trabalho e conseguir meu primeiro vínculo com a Rede Adventista de Saúde”, agradece.

Samuel foi selecionado em 2014 para cursar a primeira pós-graduação em formato de residência no Hospital Adventista Silvestre do Rio de Janeiro, para atuar como enfermeiro assistencial para Terapia Intensiva. Atualmente ele é supervisor da Unidade de Terapia Intensiva e a Unidade Coronariana.

Djeyne Wagmacker, coordenadora do curso de saúde da Faculdade Adventista da Bahia mostra sua realização ao ver os egressos bem-sucedidos em suas respectivas profissões.

“Ao ver o sucesso de nossos egressos, o sentimento que permeia meu coração é o de profunda alegria e de sensação de dever cumprido. Entendo que as universidades existem para produzir conhecimento, gerar pensamento crítico, organizar e articular os saberes, além de formar cidadãos, profissionais de sucesso e lideranças intelectuais”, ressalta.

A Fadba recebe alunos de diversos estados brasileiros e a maioria desses voltam para sua cidade natal podendo exercer a profissão de forma eficiente e marcante.

Por Suelane Carneiro

 

Comente