Momentos de grandes emoções marcaram o lançamento do livro de Américo Sambata

Por Suelane Carneiro

Aluno do curso de Teologia, oriundo da Angola, Sambata fez da pandemia um momento de reflexão e esperança. Decidido a contar sua história por meio de um livro, ele narra sua trajetória de vida entre altos e baixos com o propósito de motivar outras pessoas a se manterem firmes em face das circunstâncias difíceis.

Cerca de 130 pessoas estiveram prestigiando o lançamento do livro que aconteceu em formato de apresentação e entrevista.  Músicas, depoimentos e momentos de reflexão completaram a programação. Dentre os convidados estavam o Pr. Jedson Moura responsável pela mensagem espiritual, o professor e pastor Yure Gramacho que participou também da dedicação do livro, o pastor Marco Gomes, preceptor chefe do internato e grande apoiador do livro e a diretora acadêmica Lilian Becerra.

Quando perguntado sobre qual seria o preço de um sonho, Sambata chorou ao lembrar da sua mãe, que constantemente lhe proferia palavras de incentivo que o motivaram a lutar e não aceitar sua condição desfavorável. “O impossível só existe até que se prove ao contrário”, parafraseia Sambata.

Nada é em vão, se não é benção é lição conta a história de um menino que viveu os resquícios do fim de uma guerra civil e os reflexos da pobreza . Filho de uma professora dedicada, que trabalhou de forma assídua para prover o sustento para seus filhos e lhe conceder educação escolar e mesmo imerso em uma situação de restrições básicas de sustentabilidade, esse menino conseguiu terminar o ensino básico e se formar em Mat/Física pela Escola de Formação de Professores de Benguela (EFPB) na Angola. Instituto que forma professores tanto para províncias como para todo o país.

Em sua infância, Américo experimentou as mazelas de comer barro para saciar a fome até que a necessidade se tornasse em prazer. Morou em casa construída por terra sem nenhum revestimento. Por não possuir um quarto, dormia embaixo da mesa desde a infância até seus 22 anos.

Em sua juventude, enraigado em uma cultura e costumes de gerações anteriores, ele tinha constate contato com magia negra. Em sua cidade, a bruxaria era uma religião comum que exercia grande poder de influência sobre as pessoas. Em seu caso, movia todas as suas atitudes inclusive seu envolvimento em gangues e furtos.

Em seu livro ele conta ainda como o rumo da sua vida mudou, como conheceu a Igreja Adventista e a Faculdade Adventista da Bahia (Fadba). Apresenta como foi o curso da história que o fez chegar ao Brasil e como esse trajeto veio recheado de providências, fé e gratidão.

Hoje, Sambata estuda o segundo ano de Teologia na Fadba, auxilia na capelania universitária da faculdade, dá palestras em várias cidades brasileiras e sua história de superação e fé em Deus é contada aonde quer que ele vá.

Ao final do programa, o autor se mostra satisfeito com o resultado.

“O mais legal não foi a programação em si, mas o apoio das pessoas. Me senti muito querido. Nunca tinha vivido um experiencia como essa. Deus seja louvado! Não pude conter as emoções. Meu coração está cheio de gratidão”, celebra.

Para o pastor Jedson Moura, a mudança na vida do autor só foi possível graças à sua fé atrelada à persistência, superação e compreensão de que o sofrimento não deve ser acomodado.

 “O menino que literalmente experimentou os dissabores da vida, hoje é um homem, vaso de barro moldado pelas mãos do Criador”, conclui.

Veja também: Estudante de Teologia escreve livro durante a pandemia

    

Fonte: Karoline Felix e Américo Sambata

Fotografia: Marketing Fadba

 

Olá! Eu sou a Ane.
Posso ajudar?